Escrita avulsa retirada da gaveta: diarística, textos esparsos, relíquias, memórias, antiguidades, velharias e outras inutilidades.

31
Jul 14

FÁBULA ZEN

      «Um pescador gozava o seu ripanço ao sol, na praia da sua ilha, e vem um estrangeiro que o interroga:

     - Porque é que não estás a trabalhar?

     - Para quê? - replica o pescador.

     - Para ganhares mais dinheiro.

     - Para quê? - torna a perguntar o pescador.

     - Ora, para comprares um barco maior...

     E de novo o pescador:

     - Para quê?

     - Para pescares mais peixes.

     - Para quê?

     - Compravas mais barcos e ganhavas ainda mais dinheiro.

     - Para quê?

     E o estrangeiro, já impaciente:

     - Para seres um homem rico.

     - Para quê? - continua o pescador.

     - Para não te ralares com coisa nenhuma e te estenderes aqui, regalado, a descansar...

     E o pescador, rindo-se:

     - Mas isso é o que eu já estou a fazer, sem passar por essa canseira toda!»

 

            Foi  por causa desta fábula que eu fui hoje ao advogado. Um dia explicarei.

publicado por Pedro Barbosa às 20:01

Fabulosa fábula, Pedro.
Isabel A. Ferreira a 1 de Agosto de 2014 às 09:42

Julho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO