Escrita avulsa retirada da gaveta: diarística, textos esparsos, relíquias, memórias, antiguidades, velharias e outras inutilidades.

23
Ago 14

Ainda sobre o enigma da escrita, lembro-me de em anos ingénuos ter respondido a um inquérito jornalístico assim: «Escrever - colocar  um  parêntese  efémero  no  grande silêncio do mundo». Palavras sonantes mas vazias. Pois a verdade é que valia o mesmo ter dito o contrário: «Escrever é colocar  um  parêntese  efémero  no  grande ruído do mundo». O ambíguo jogo da linguagem?

 

© Pedro Barbosa
        
publicado por Pedro Barbosa às 20:43

Maria Do Carmo Sequeira - «Ou a não- mutação do mundo? Não será o ruído a outra face (mais sombria) do silêncio?»
Pedro Barbosa - «Exacto, MC: O ruído é a sombra do silêncio. (Boa dica: por isso tanto faz dizer uma coisa como a oposta. Mt bem observado:)»
Pedro Barbosa a 24 de Agosto de 2014 às 19:06

Maria Do Carmo Sequeira - «Ou a não-mutação do mundo? Não será o ruído a outra face (mais sombria) do silêncio?»
Pedro Barbosa a 24 de Agosto de 2014 às 19:11

Pedro Barbosa - «Exacto, MC: O ruído é a sombra do silêncio. (Boa dica: por isso tanto faz dizer uma coisa como a oposta. Mt bem observado)»
Pedro Barbosa a 24 de Agosto de 2014 às 19:13

Agosto 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22

24
25
26
27
28
30

31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO